INSIGHT 2 | O Processo de Gustav Klimt

Você provavelmente já se pegou ao tentar traçar uma simples linha reta num rosto, ou criando um prédio e até mesmo traçando uma linha de horizonte não conseguindo fazer um único traço, resolvendo o processo em pequenas linhas que complementam-se. Isso se dá as vezes pela firmeza no seu punho e as vezes por escolha própria dentro do seu estilo. Mas quando tratamos de desenho acadêmico, regrado de técnica e diretrizes, ter certeza até onde a linha começa e termina é mais do que obrigação dentro do trabalho do artista!

O Insight de hoje traz a tradução de um pequeno vídeo comentando o processo de um dos maiores nomes do simbolismo, o pintor austríaco Gustav Klimt, artista esse que andou por muito tempo no terreno da arte acadêmica até transgredir os laços com a mesma, dominando a linha com tamanha perfeição que chega a brincar com sua consistência em muitas de suas obras a ponto de que as manchas no seu trabalho sejam tão constrastantes que parecem e não parecem ao mesmo tempo estarem conversando entre si. Produzido pelo canal Getty Museum que traz palestras, documentários e vídeo aulas sobre arte em geral.

Deixamos também em anexo alguns dos trabalhos do mestre. Não deixe de conferir o texto do nosso redator Pablo Grilo sobre um filme recentemente lançado sobre a jornada de Maria Altman para reaver na justiça sua obra feita por Klimt em a Dama Dourada.

Tragédia, carvão e lápis, 1897 – Museu de Vienna, Austria

A Dama com leque, Oléo em tela, 1918

O Friso de Beethoven, Tinta de Caseína, Ouro e Gráfite, 1902 – Secession Build, Vienna, Austria

Retrato de Emilie Flogë, Óleo em Tela, 1902 –  Museu de Vienna, Austria