Os Filmes (e OVAs de) Dragon Ball Z – Parte 3

Finalizando nosso especial sobre os filmes, OVAs e afins de Dragon Ball Z (leia a Parte 1 e Parte 2 aqui), retomamos nosso artigo, falando de forma cronológica, levando em consideração a data que os filmes foram lançados oficialmente.

Broly: O Retorno do Guerreiro Lendário

Lançado em Março de 1994, Doragon Bōru Zetto: Kiken na Futari! Sūpā Senshi wa Nemurenai é o primeiro filme em que Gohan já é adulto, e o primeiro em que o pequeno Goten também luta. Apesar de contradizer a saga Boo, ele se passaria durante ela, e começa com Videl, Goten e  Trunks indo atrás das esferas, já que a moça queria ver o dragão Shenlong, mesmo que isso não seja motivo bom o suficiente para gastar um ano de desejos além da busca que isso envolve.

Broly caiu na Terra depois de vagar pelo espaço como moribundo e acorda de uma hibernação, com o choro de Goten. Daí o vilão, que antes não era páreo para Piccolo, Vegeta e Goku se ocupa de lutar com duas crianças, basicamente porque o precário roteiro decide assim. O filme, dirigido por Shigeyasu Yamauchi só começa a melhorar próximo do final, quando Gohan intervém e tenta deter o antagonista. Até certo ponto a luta é acirrada, mas não empolga durante muito tempo. O final mostra Goku fantasma e seus filhos atacando em um triplo Kame-hame-ha, e o narrador não sabe precisar como isso ocorreu, se foi realmente o espectro dele, se foi uma interferência ex machina das esferas, com um desejo inconsciente dos filhos de Goku. O fim é tão anti climático quanto o restante do especial.

O Combate Final Bio Broly

O  filme começa com um clichê que ainda tinha sido pouco utilizado na obra de Akira Toriyama, que é a clonagem. Doragon Bōru Zetto: Sūpā Senshi Gekiha!! Katsu No wa Ore da mostra um novo vilão, chamado Lord Jaguar, que quer vencer Mr. Satan, lembrando outro filme O Homem Mais Forte do Mundo, onde o objetivo era vencer Kame. Jaguar manda o Doutor Collie coletar amostras de homens poderosos, e um deles é o sangue de Broly, que dá origem a um clone: Bio Broly. O filme de Yochiro Ueda é como uma refeição requentada. Seu plot inicial mostra numero 18 indo atrás de Satan cobrar sua dívida, junto a Kuririn – que na saga Boo deveria estar petrificado – e também com os jovens Goten e Trunks, por motivos mal explicados.

O farsante Satan recebe um convite de seu antigo rival e vai até uma ilha isolada para enfrentar os bio soldados desse inimigo. Ali aparece Bio Broly, um ser verde que imita o saiyajin mas é bem menor forte do que o mesmo. Ele enfrenta os garotos e Kuririn, e perde de uma infantil, ao perceber que a água salgada do oceano o faz enfraquecer. O filme poderia até se encaixar na cronologia do anime após a batalha contra o demônio cor de rosa, mesmo se ignorar o fato de que os menino não fazem a fusão, mas perto de acabar o filme Goku é mostrado morto, no Outro Mundo, sabendo que Broly atacou de novo. Esse desfecho é simbolico, porque resume bem toda a trama desse especial, algo banal e desnecessário.

O Renascimento da Fusão

De Shigeyasu Yamauchi, em 1995, Doragon Bōru Zetto Fukkatsu no Fyūjon!! Gokū to Bejīta começa mostrando uma luta de Goku no além, logo depois um fluxo enorme de almas vão a entrada que Enma Daioh guarda. Um ogro se descuida com a máquina de lavar almas, sai de lá, Janemba, um lutador amarelado, enorme e poderoso, mas de mentalidade infantil, que faz essa dimensão se tornar em algo estranho, cheio e perolas coloridas, que mais parecem doces. Os mortos voltam como almas encarnadas na Terra e assustam muitas pessoas, há aparições de vampiros, até de Hitler, e Gohan e Videl são chamados a ajudar na cidade, enquanto Goku e Paikuhan também são convocados a ajudar outras pessoas, dessa vez, Enma Daioh que está preso pelo tal monstro.

Goku apela para a transformação em SSJ3, e diz que já enfrentou Majin Boo assim, ou seja, a cronologia põe esse filme ao menos após a primeira luta contra o demônio. Na Terra, as figuras históricas enfrentam Goten e Trunks e as cenas são estranhas, pois os personagens tem um contorno estranho em volta de si, parece que foram colocados ali por cima. Alem disso, alguns vilões aparecem.Para deter a segunda forma de Janemba, Goku fala com Vegeta, que veio do inferno  para que façam a dança da fusão Metamoru. Esse filme não se encaixa de modo algum na cronologia do anime/mangá, já que no momento em que Vegeta e Goku estavam mortos ao mesmo tempo era um tempo muito curto, Goku estava ocupado com Gohan no planeta supremo, e aqui o primogênito de Goku e Chichi estava na Terra, tranquilamente, enquanto Majin Boo estava matando a tudo e todos. No entanto o maior problema do filme é que ele é extremamente genérico, seu vilão é visualmente arrojado em sua segunda forma, mas não há motivação para ele estar ali, e o roteiro é fraco.

O Ataque do Dragão ou A Explosão do Golpe do Dragão

Doragon Bōru Zetto: Ryū-Ken Bakuhatsu!! Gokū ga Yaraneba Dare ga Yaru, dirigido por Mitsuo Hashimoto foi lançado em 1995 e mostra Gohan e Videl agindo como o grande Saiyamen 1 e 2. Eles salvam um senhor de idade que encena um suicídio. Ele quer ressuscitar um guerreiro chamado Tapion e mais uma vez são usadas as esferas,

Uma criatura estranha, gigante e poderosa começa a destruir a cidade. É Hildegarn, ainda que claramente seu corpo esteja em construção – a altura do começo do especial, só há a parte de baixo da cintura e pernas da tal criatura. Gohan o enfrenta, e ouve uma música, que vem da flauta de Tapion. Apesar desse ser mais um filme extremamente generico, repleto de clichês, Tapion é um personagem que contém alguma originalidade e até um certo mistério em torno de si. A composição de sua persona vai além do visual legal que muitos personagens de DBZ tem, e a maldição da dupla identidade o faz soar como um personagem trágico.

Tal qual o filme de Janemba, esse também foi lançado em meio a saga de Majin Boo, e traz alguns fatos que ocorrem após a vitoria sobre o demônio antes mesmo delas serem exibidas no Japão, mas, teoricamente, esse especial pode sim fazer parte da mesma cronologia do anime, uma vez que se encaixa a perfeição depois que Boo é derrotado, ainda que a versão gorda do antigo antagonista não tenha aparecido, fato que pode ser explicado pelo fato de as pessoas ainda poderem se lembrar do que o sujeito fez quando ainda era mal.

Tapion sofre de uma maldição, que ocorreu consigo e com seu irmão mais novo, e ele vê no pequeno Trunks um paralelo com seu parente. No entanto, todo o pano de fundo é deixado de lado, para mostrar Hildegard lutando contra os guerreiros Z de maneira genérica, enquanto Goku vence o vilão no meio de uma cidade, que foi toda destruída sem remorso, já que Shenlong as ressuscitará a todos. A formula se desgasta demais, e nem a entrega que Tapion faz a Trunks, da espada que seria a que ele usaria como Mirai Trunks (e em Dragon Ball GT) salva esse final da mediocridade de roteiro.

O Retorno de Goku e Seus Amigos

Passado dois anos depois da batalha contra  Boo, dirigido por Yoshihiro Ueda e escrito por Takao Koyama, foi lançada em 2008, Doragon Bōru: Ossu! Kaette Kita Son Gokū to Nakama-tachi!! supostamente ocorre antes do desejo de Goku para que a Terra esqueça o mal causado por Boo, já que o personagem gordo não aparece. 

Após Videl convidar Gohan e os outros para almoçarem para comemorar o aniversário da derrota do demônio, até que duas naves chegam a Terra, com uma delas contendo um saiyajin pequeno, chamado Tarble, o irmão de Vegeta. Todos se surpreendem com essa novidade, uma vez que o príncipe jamais falou abertamente sobre ter algum familiar que não os que morreram no planeta que levava seu nome, e o espanto dos personagens é o mesmo dos espectadores, já que teoricamente, Raditz, Nappa ele e Kakaroto deveriam ser os últimos da raça…mas até aí houve Thurles, Broly e outros, o impacto de um novo saiyajin não repercute tanto.  Alguns elementos que seriam utilizados no futuro da saga são mostrados aqui, como a plantação e rabanetes que serve de sustento para Chichi e Goku. 

Tarble tem a idade de Goku  e também é de uma classe inferior. Apesar dele não ser um personagem canônico teoricamente, ele é citado em Dragon Ball Super, e é mais fraco que os membros das Forças Especiais Ginyu, e está sendo perseguido pelos capangas chamados Abo e Kado, além de ser casado, com uma alienígena chamada Gure. Quando os quatro chegam a Terra, os guerreiros z permitem Goten e Trunks de enfrentarem os dois, e quando eles se fundem, utilizam o golpe Hoga-fufuken de Yamcha, que estava sumido desde a fase Dragon Ball clássica.

Fora as curiosidades relacionadas a Tarble (o mais fraco saiyajin vivo, o único que não morreu e que possui calda, além de jamais ter chegado ao nivel de SSJ) pouco se acrescenta. O especial é engraçado e bem animado, mas poderia ter um opositor mais forte, mesmo considerando Aka, a fusão de Abo e Kado. Claramente a ideia da obra  era ser engraçadinha, e ela não é dispensável, muito por conta do remixe de  Chala-Edchala.

Bardock: O Lendário Super Saiyajin

O último OVA de DBZ foi chamado de  Doragon Bōru: Episōdo obu Bādakku, e proveio de um manga de três capítulos criado por Naho Ooishi . Seu tamanho é o  de um capítulo comum do anime, mas com animação em HD, semelhante ao que foi feito em Dragon Ball Kai. É baseado no jogo Dragon Ball Heroes, e possui uma história continuação do especial Dragon Ball Z: Bardock, O Pai de Goku, no qual o personagem-titulo sobrevive a destruição do planeta Vegeta e é mandado para o passado, combatendo o ancestral de Freeza, Chilled, e se transforma em Super Saiyajin.

Como foi no outro OVA tenta atacar Freeza, quando o mesmo destrói o planeta Vegeta, mas ao invés de morrer,  ele acorda em uma cama, cuidado por dois estranhos alienígenas, Ipana e seu filho Berry. No lugar onde acorda ele percebe uma nave chegando, que é bem parecida com a de Freeza, dela saem dois capangas, e facilmente são derrotados por ele. Não demora a aparecer o chefe dos mesmos, Chilled.

Bardock estava no planeta Planta, antigo nome do planeta saiyajin e ao se enfurecer ele desperta o super saiyajin, como seu filho fez quando Freeza matou Kuririn. Antes de morrer, Chilled pede para que avisem a sua família para tomar cuidado, com o super saiyajin e dai viria a lenda. Por ser baseado em um mangá  esse OVA possui um sub texto um pouco melhor trabalhado, e tem mais a ver com tudo o que se adaptava por sua época. Fica lado a lado em qualidade de Gohan e Trunks Guerreiros do Futuro. Muito se discute sobre se ele é canônico ou não em especial por sua origem ser ligado a uma festa da Shonen Jump e não a algo criado por Akira Toriyama, mas a qualidade é superior há quase tudo que envolveu o criador de Goku.

One Piece x Toriko x Dragon Ball Z

Esse é um crossover bem viajandão entre as três séries que dão nome ao capitulo. Nele ocorre uma corrida da carne, um evento estranho e surreal que tem toda a carga ácida típica de One Piece. Não dá para levar muito a sério esse especial, e o mesmo jamais passou no Brasil oficialmente. Não há muito o que falar, da parte de Dragon Ball ele resgata muitos elementos da época do primeiro filme canônico, A Batalha dos Deuses, e é bastante psicodélico, até para conseguir comportar personagens tão diferentes e com níveis de poder tão díspares. Goku vence o monstrengo que está relacionado a corrida utilizando algumas de suas técnicas, entre elas, a Genki Dama, o Kamehamehha e o nível SSJ3.

Filmes Canônicos

Em 2013, antes até do crossover com Toriko e One Piece, foi lançado A Batalha dos Deuses, um filme que mostra uma aventura de Goku  que se passa antes dos episódios finais de DBZ. A mitologia em volta de Bill, Whis e as novas divindades deu tão certo nesses filmes que favoreceu não só a nova fase de Super mas também ajudou a ignorar  a questão de Dragon Ball GT. No inicio, Bulma reclama da ausência de Goku em sua festa de aniversário,  ou seja, o heroi continua ausente dos eventos de seus amigos e entes queridos.Além disso, esse filme serviu para restabelecer os deuses como seres mais fortes do universo, já que Bills é mais poderoso do que os lutadores, mais forte que os Kaiohs, Kaioh-samas, Kami-samas e afins, e depois Whis é dito como uma figura ainda mais poderosa, por mais que nesse momento não se saiba.

Muita gente reclamou da covardia de Vegeta diante de Bills, mas na saga Freeza, se nota que o príncipe dos sayajins tem medo do soberano, e se faz de humilde até ter noção de que poderia vencê-lo, fato que obviamente não acontece até essa fase pelo menos, daí se percebe que ele abre mão de sua arrogância caso precise preservar sua sobrevivência.   Batalha dos Deuses ocorre seis meses após a vitória sobre Boo, e aparentemente são poucos meses entre ele e Renascimento de F, já que Pan era recém nascida, ou seja, incapaz até de andar. Algumas fontes citam 10, outras 12 meses entre esse o longa anterior.

Esse filme ratifica um retcon, que é relacionado ao nascimento da filha de Gohan, Pan, que é antecipado, uma vez no final de DBZ ela teria quatro anos, e o mesmo se passa 10 anos após Boo ser derrotado. O nascimento foi antecipado em aproximadamente 4 ou 5 anos.

Freeza está no inferno, em um casulo, cercado por anjos fofinhos, diferente demais das versões em que aparece no inferno nos filmes, OVAs, fillers de DBZ e Dragon Ball GT. Sorbe e Tagoma vem a Terra capturam Pilaf e sua gangue, se apossam das esferas e ressuscitam os restos mortais de Freeza, todo retalhado desde que Trunks do futuro o matou. Sorbe quis ressuscitar o Rei Cold também, mas foi impedido por Shu, o cachorro capanga de Pilaf que pede um milhão de iens. O corpo do vilão é restaurado através da tecnologia dos soldados de seu exército. Esse rapto de Pilaf faz lembrar o que o Rei Piccolo fez na saga Piccolo Daimaoh mostrando mais uma vez uma história cíclica.

Bonustrack – Dragon Ball GT O Legado do Heroi

 O Legado do Heroi se passa ao fim de todo o seriado DB GT. De nome original Gokū Gaiden! Yūki no Akashi wa Sū shin chū, lançado em Março de 1997, Yoshihiro Ueda e Hidehiko Kadota . Esse especial grifa ainda mais algumas incongruências do final do anime, primeiro, com o fato de não haver qualquer variação genética dentro da família dos saiyajins, já que o descendente de Vegeta é igual a ele e a descendente de Bulma também e igual a ela (esta ultima é mãe do pequeno Vegeta Jr.) a outra questão é que algo muito terrível deve ter acontecido com a familia Son/Satan, uma vez que Goku Jr. só tem sua tataravó, não tem pai, mãe, tios, avós, nada.

Assim como em GT coincidiu o uso das esferas negras com os dragões malignos terem aparecido pouco tempo depois da primeira calamidade envolvendo os artefatos mágicos, esse também se vale muito das coincidências para o estado de paz da Terra e para a decisão de Goku Jr. em tentar achar as esferas, mesmo sem saber como encontra-las. Ele pega carona com um caminhoneiro suspeito, que rouba seus doces…com os elementos mostrados nesse ponto, assusta como não houve associação desse personagem a um possível molestador pedófilo.

E para variar o desfecho dessa micro aventura de Goku Jr não apresenta nada ou divertido ou novo, os adversários que aparecem são sem carisma e sem grandes poderes, nem mesmo a velha Pan salva qualquer sensação nostálgica, nem que seja dos seus gritos insuportáveis, o que é uma pena, pois por muito tempo era essa a última coisa feita para a saga das esferas do dragão, que fora o “arrebatamento” de Goku, nada guarda de realmente memorável nem nos 64 episódios e nem nesse especial.

 

E assim terminam os especiais, OVAs e filmes de Dragon Ball Z. Confira as outras partes do especial abaixo:

Os Filmes e OVAs de Dragon Ball Z Parte 1

Os Filmes e OVAs de Dragon Ball Z Parte2

Facebook – Página e Grupo | TwitterInstagram | Spotify.