Cinema

Crítica | Celtics/Lakers: Best of Enemies

Compartilhar

Dividido em 3 partes, Celtics / Lakers Best of Enemies é um produto de Jim Podhoretz, que narra um bocado da rivalidade do basquete americano, que reunia franquias de hemisférios diferentes do país,  sendo até hoje a final mais frequente da NBA. O especial 30 for 30 da ESPN tem múltiplos narradores, desde o rapper Ice Cube, a Donnie Whalberg e o retrato que o filme faz vai além claro da mera rivalidade, resgata personagens clássicos e suas motivações.

Ainda na mentalidade fora do jogo, o documentário passa pela questão da segregação, da ausência de negros na NBA, nesse ínterim, se fala das injustas faltas empregadas a Bill Russell, quando vinha estreando por Boston. Ele diz que Red Auerbach foi o primeiro técnico a defende-lo. Bill era muito consciente, ter percebido isso foi só uma das muitas mostras de suas idéias sobre o quão importante era lutar para que a segregação deixasse de ocorrer  basquete profissional e também em termos colegiais, universitários e consequentemente, nas ruas, e por isso, ele usou sua figura eminente de astro do esporte para uma figura de liderança, que resultou até no primeiro técnico negro da liga, enquanto ainda era jogador. Isso tudo ocorreu com auxilio de Red, que foi o primeiro a escolher via draft um negro, o primeiro a escalar cinco jogadores negros como titulares e o primeiro a escolher um para ser técnico, quando já era gerente do Celtics.

O filme mostra bem o outro lado, com os Lakers de Jerry West passeando pelo mapa do país, com uma caçamba de caminhão, que atrás tinha uma cesta e eles se exibiam para o povo. A popularidade deles foi aumentando com o tempo, e isso ajuda a explicar por exemplo, como o time de LA começou a ser conhecido como o time das estrelas, deste Wilt Chamberlain, para bater de frente com o Boston e para fazer dupla com West, e também Kareem Abdul Jabbar tempos depois.

O piloto possui 101 minutos, e com 36 minutos, e nele já se nota o quão intrusiva é a musica de Robert Miller. Aqui já se fala da chegada de Earvin Magic Johnson e Larry Bird, ainda no basquete universitário, depois, nas categorias profissionais. Essa parte acaba reprisando boa parte do conteúdo de Magic & Bird – Courtship of Rivals, embora o entorno das franquias seja melhor abordado nesse especial. O problema maior da obra é que seu método de documentar é muito quadrado, preso a formulas velhas, com depoimentos variados de quem participou ou assistiu a rivalidade, acompanhado de uma música instrumental motivadora, variando entre cenas de jogos, é tudo muito igual a reportagens esportivas mais comuns.

Ao menos, a parte referente ao Showtime e a questão de o Lakers ser um time midiático e capaz de atrair estrelas é bem explorada. Toda a problemática deles serem encarados como falsos – chamados até de Fakers – soa interessante, até porque é dito pelos próprios protagonistas de time e franquia. Além disso, o segundo episodio, de 52 minutos, continua esmiuçando a rivalidade compartilhada do time verde contra o roxo dourado na era de Bird e Magic.

Uma das cenas mais assustadoras, envolvem Kurt Rambis, do Lakers, um jogador que usava óculos e que tem seu pescoço puxado por um rival. Os jogos mesmo primando pela técnica, eram sujos, tinha violência e a maioria dos lances agressivos nem eram apontados como falta digna de expulsão. Esses momentos, por mais desimportantes que possam parecer em uma descrição pura, esses são os trechos mais emocionantes, ainda mais nos dois primeiros capítulos, que são mais repetitivos, ao contrario do terceiro, que é mais dinâmico e reúne mais questões divertidas.

O placar de finais entre Lakers e Celtics chegou a ser de 8 a 0 em finais contra o time de LA, fato que fazia a torcida e time de Boston dizer que não havia rivalidade,já que somente um lado vencia. O especial se permite ser melancólico, ainda que brevemente, ao contar a tragédia de Len Bias, mas logo depois, permite ser mais positivo, reverenciando Larry Bird e lembrando o quanto até os negros o adoravam, ao estampar as fotos em barbearias onde eles se reuniam para cuidar de sua aparência e claro, discutir a vida, tal qual é visto na recente série da HBO, The Shop.

Celtics/Lakers é uma rivalidade enorme, talvez a mais conhecida do esporte americano em geral, e por mais que pudesse ser mais curto, as informações discutidas são ótimas, servem bem ao aficionado por NBA, bem como ao fã desse evento esportivo que ainda é iniciante e ainda não conhece muito sobre os detalhes da associação da NBA.

 

Filipe Pereira

Filipe Augusto Pereira é Jornalista, Escritor, quer salvar o mundo, desde que não demore muito e é apaixonado por Cinema, Literatura, Mulheres Rock and Roll e Psicanalise, não necessariamente nessa ordem.
Veja mais posts do Filipe
Compartilhar