Cinema

Crítica | Cercados: A Imprensa Contra o Negacionismo da Pandemia

Compartilhar

Cercados: A Imprensa Contra o Negacionismo da Pandemia se inicia em Maio de 2020, em um pronunciamento do então ministro da saúde Nelson Teich, no dia em que ele se retirou do cargo voluntariamente. O especial começa mostrando os bastidores do Jornal Nacional, o programa jornalístico da maior rede de televisão do Brasil, com William Bonner e sua equipe de produção e reportagem, em meio a bagunça que foi toda a condução federal do país em meio a epidemia de Covid-19, sem ter um norte sequer de como o povo deveria se comportar.

As filmagens mostram os bastidores do cercadinho próximo da Alvorada, incluindo uma cena patética de uma fã ardorosa do presidente atacando membros da imprensa. O documentário conduzido por Caio Cavechini acompanha o dia-a-dia de pessoas que cobrem os eventos do país, e passam por cemitérios de covas coletivas, acompanhando a tristeza e luto dos parentes que perderam pessoas para essa doença.

Boa parte das informações faladas aqui já se encontram datadas. A velocidade com que o governo comete erros, nega suas próprias atitudes e se mete em vergonhas faz com que no momento que se apura uma mentira, já estejam se propagando dezenas de outras mentiras. Informar no Brasil acaba sendo um trabalho inglório e infrutífero, de certa forma. Em muitas falas, Jair Bolsonaro relembra que economia e saúde são assuntos inseparáveis, ainda que esse comentário soe bastante cínico se tratando do presidente, não há como negar que boa parte do descuido com a saúde pública e a economia tem tudo a ver com o modo como o Estado brasileiro é gerido. E Cavachini não se exime de escolher um lado, ainda que seja o oposto de seus financiadores. Ainda bem.

O trabalho do documentário é de um esforço hercúleo. Cercados é esteticamente simples e a edição dá o tom de desespero que a maioria dos jornalistas têm trabalhado nos últimos meses. O esforço em dar voz a um discurso que é tradicional alvo de descaso de autoridades é necessário, além de um registro histórico importante desse difícil momento que vivemos.

 

Filipe Pereira

Filipe Augusto Pereira é Jornalista, Escritor, quer salvar o mundo, desde que não demore muito e é apaixonado por Cinema, Literatura, Mulheres Rock and Roll e Psicanalise, não necessariamente nessa ordem.
Veja mais posts do Filipe
Compartilhar