Cinema

Crítica | Dragon Quest: Your Story

Compartilhar

Em termos de história, Dragon Quest V é um dos jogos mais elogiados da franquia. Enquanto que seu antecessor, Dragon Quest IV, trazia vários núcleos de personagens que se encontram, no V a história se desenvolve ao longo das gerações de uma família. Outro diferencial foi trazer os monstros para seu lado da batalha. Feito o mini review do jogo, vamos ao filme.

O longa de animação faz uma adaptação interessante da história em pouco mais de 100 minutos. Optaram pela arte em 3D, seguindo a linha visual dos jogos VIII e XI. Apesar disso, os traços possuem alguns detalhes diferentes do estilo consagrado de Akira Toriyama, o que não chega a ser um problema.

A história começa de uma forma bem inusitada e interessante: o protagonista é filho de um grande herói, mas uma tragédia faz com que ele se torne um escravo do vilão por anos. É claro que nosso protagonista conseguirá escapar (mesmo demorando anos, o que é deveras interessante), e entrará em uma grande jornada para derrotar o maligno vilão. Mais Dragon Quest que isso, impossível.

É claro que um jogo com dezenas de horas não poderá ser condensado em 100 minutos de filme, então sim, a história é bem corrida e sem grandes detalhes. Infelizmente alguns momentos dramáticos e fortes, como o próprio início, perdem um pouco do impacto devido ao escasso tempo de tela.

O grande barato desta história é mostrar o enorme lapso temporal. Acompanhamos o protagonista desde o nascimento, inclusive é mostrada a cena do jogo original, o que a princípio parece apenas um fan service. A narrativa atravessa muitos e muitos anos, literalmente mostrando as gerações futuras de nosso herói. Isso traz um tom ainda mais épico à jornada, fazendo-a grandiosa.

Não espere um filme extremamente profundo, complexo e sem clichês. É Dragon Quest, ora bolas!  É claro que existem momentos inusitados, mas o cerne é a típica aventura do herói contra o grande vilão. Todos os elementos carismáticos da franquia estão aqui: os monstros criados por Toriyama, as memoráveis músicas de Koichi Sugiyama, os sons corriqueiros das magias e os personagens mais importantes do jogo. O ritmo é muito bom, não há muito espaço para enrolações, e os 100 minutos passarão muito rápido. A grande sacada foi a mensagem final do filme, que é bem inusitada, mas acaba trazendo uma reflexão interessante para todos nós. Se eu falar mais do que isso, vou acabar estragando a surpresa. Não é algo transcendental que mudará a sua vida, ok? Então pode baixar as expectativas para não se frustrar.

Não é necessário jogar Dragon Quest V para aproveitar este filme, mas talvez te anime para conhecer os jogos. A dublagem brasileira é razoável.

Almighty

Ainda moleque, descobriu a existência de bons livros, mesmo com a escola mostrando o contrário em suas leituras obrigatórias. Na adolescência, começou a ouvir heavy metal e posteriormente aprendeu que a boa música não se resume a esse (ótimo) estilo. Formado em Direito.
Veja mais posts do Almighty
Compartilhar