Cinema

Crítica | Um Crime Para Dois

Compartilhar

Um Crime Para Dois é mais uma comédia romântica água com açúcar. Dirigido por Michael Showalter em parceria com o estúdio Paramount Pictures, o longa ganhou um bocado de popularidade, graças a condição mundial de pandemia, e consequentemente, o fechamento dos cinemas.

A história acompanha Leilani (Issa Rae) e Jibran (Kumail Nanjiani), um casal inter-racial que vivem junto há algum tempo, e sonham participar de um gameshow de televisão. O roteiro começa doce, com a ternura entre os dois quando se conhecem, para com o decorrer do tempo se estabelecer a crise do casal.

A comédia mostra o modo que uma relação se deteriora e como o destino pode pregar peças em corações apaixonados, e faz isso com um estereótipo bastante comum no gênero. Há semelhanças enormes entre Depois de Horas (Martin Scorsese), além do mais recente Uma Noite Fora de Série (Shawn Levy). Apesar das comparações, existe um bocado de identidade em Doentes de Amor, ainda mais se considerar o tipo de humor que Nanjani normalmente coloca em suas performances, variando entre o bobo e o comedido em momentos inoportunos. Normalmente, suas tiradas tem êxito, e aqui não é diferente. Não há limites para a insanidade que os personagens vivem, e a maior riqueza do filme é exatamente a química existente entre os protagonistas, genuinamente engraçados juntos.

Em Doentes de Amor, diretor e astro tiveram um pouco mais de êxito, que infelizmente falta em Um Crime Para Dois, apesar dos bons momentos. No final das contas, funciona muito bem para como um passatempo descompromissado.

Filipe Pereira

Filipe Augusto Pereira é Jornalista, Escritor, quer salvar o mundo, desde que não demore muito e é apaixonado por Cinema, Literatura, Mulheres Rock and Roll e Psicanalise, não necessariamente nessa ordem.
Veja mais posts do Filipe
Compartilhar