Hellboy: Rise of the Blood Queen | Neil Marshall quer priorizar efeitos práticos ao CGI

Devo dizer que não estava muito animado quanto ao próximo filme do Hellboy considerando as complicações envolvendo o diretor Guillermo Del Toro. Mas não sabia que o envolvido nessa nova reformulação do personagem se trata de ninguém menos que Neil Marshall. O diretor conhecido por filmes como Abismo do Medo e Dog Soldiers: Cães de Caça recentemente tem usado sua experiência em cinema no campo da TV, onde dirigiu episódios de Game of Thrones, Hannibal, Timeless e Westworldmas com a informação concretizada pela produção do longa uma das preocupações nos bastidores de notícias era a possibilidade de que esse filme talvez fosse uma grande festa de computação gráfica, não só por se tratar de um filme novo mas obviamente pelo diretor anteriormente responsável pelo personagem prezar muito mais por efeitos práticos.

Considerando que o projeto ainda está em fase inicial, Marshall recentemente comentou de seus planos para o trabalho que terá como corroteirista o próprio Mike Mignola junto à Andrew Cosby e Christopher Golden, com David Harbour no papel título.

Em uma conversa com Mick Garris em seu podcast Post Mortem (via EW), Marshall reforçou sua intenção em priorizar muito mais efeitos práticas e truques de câmera do que efeitos de computação gráfica. Podemos esperar algo no mínimo interessante de Hellboy, seus chifres e sua mão direita provavelmente serão muito mais esforço de maquiagem e trabalho duro do que um pedaço de isopor verde na mão de um ator.

Segue um trecho do próprio Marshall comentando sobre esses efeitos :

“Com certeza será em sua grande maioria efeitos práticos, na medida do possível. Eu amo fazer coisas reais sempre que eu posso e usar o CG como uma ferramenta para acrescentar e expandir sobre aquele mundo, mas não usar pra substituir a realidade, quando você pode fazer aquilo mesmo”.

Ele ainda comenta sobre o filme ser para o público adulto:

“Recebemos permissão para que o filme seja para maiores de 18 anos, que pra mim é basicamente tirar as crianças do parquinho. Podemos realmente fazer o filme que queremos fazer. Não é como se eu fosse forçar algo adulto, mas se acontecer, que seja algo baseado na minha sensibilidade de tornar aquilo algo adulto. É óbvio que filmes como Deadpool e Logan ajudaram a criar esse tipo de possibilidade hoje”.

Hellboy: Rise of the Blood Queen não tem data de estréia definida, mas está anunciado para 2018.

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram, curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.