Sai de cena o diretor Jonathan Demme

É com grande pesar que escrevo a notícia informando que o diretor Jonathan Demme faleceu hoje, aos 73 anos de idade. Segundo a IndieWire, o diretor vencedor de Oscar faleceu devido à um câncer no esôfago e complicações de uma doença no coração, que havia sido originalmente tratada em 2010. O diretor faleceu ao lado de sua esposa, a artista Joanne Howard, e seus três filhos.

Demme sem dúvida foi um dos diretores de maior versatilidade do nosso cinema recente. Ele começou sua carreira nos anos 1970, trabalhando em produções de Roger Corman e dirigindo filmes como Celas em Chamas Nas Ondas do Rádio. Nos anos 1980 se aventurou no gênero de romance com  Totalmente Selvagem e na comédia De Caso com a Máfia, ao mesmo tempo o diretor ainda fez um dos grandes documentários de música de todos os tempos:  o filme/concerto da banda Talking HeadsStop Making Sense.

Nos anos 1990, temos o inesquecível Silêncio dos Inocentes, apenas um dos três filmes na história do Oscar a ter recebido prêmio para melhor diretor, filme, ator e atriz, além do roteiro. Sem contar o simples fato de que é o único filme de horror que já recebeu uma estatueta de melhor filme. Demme ainda na mesma década entregou em 1993 o incrível Filadélfia, controverso em seu lançamento. O drama centra sua trama na AIDS, trazendo o assunto para o grande público de maneira completamente explícita com atuações pontuais de Tom Hanks e o relutante personagem de Denzel Washington. O filme deu um Oscar à Tom Hanks de melhor ator.

Nos anos seguintes, Demme colocou seu talento numa variedades de filmes completamente diferentes, como o remake do filme Charada, O Segredo de Charlie e o thriller que também é refilmagem Sob o Domínio do Mal. Demme conseguiu um retorno muito maior anos depois com O Casamento de Rachel, e agora mais recentemente em 2015 com Ricki and the Flash: De Volta pra casa.

Seu último trabalho foi o documentário lançado ano passado para o Netflix, Justin Timberlake + The Tennessee Kids. O filme é um perfeito exemplo único de visão do diretor em trazer uma personalidade ao que ele está filmando e encontrar humanidade em cada enquadramento.

De toda forma, Demme deixa para o cinema um legado que muitos diretores sonham em ter, eu especialmente sou um grande fã. A equipe do Vortex deseja os pêsames a família do diretor nesses tempos de tristezas e dificuldades.

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram , curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.