Review | The Binding of Isaac

A mãe do pequeno Isaac é uma fanática religiosa que, certo dia, ouve a voz de Deus. O Criador diz que Isaac está tomado pelo pecado e deve ser purificado. Para isso, a mãe lhe tira todos os bens materiais (inclusive as roupas) e o tranca no quarto. Não satisfeito, o Senhor exige uma prova maior de amor a Ele: o sacrifício do filho. A mãe, dedicada a provar sua devoção, pega uma faca de cozinha e vai ao quarto para tirar a vida de seu rebento. Isaac, apavorado e nu, foge para o porão de sua casa, uma verdadeira dungeon infestada de criaturas bizarras, que na verdade são seus irmãos e irmãs desaparecidos, além dos pecados capitais e, ao final, a própria mãe.

Sua única arma são as próprias lágrimas(!) e bombas(!!). Ao longo do jogo, Isaac pode adquirir diversas habilidades que o deixam mais rápido e mais forte. Tais poderes variam de lágrimas de sangue a pactos demoníacos.

Ok, após saber o conceito do jogo, você deve estar pensando: “Nossa, que jogo bizarro! Deve ser bem perturbador”. Sim, é bizarro e perturbador, mas tem um detalhe: os gráficos são absurdamente estilizados, quase infantis, no melhor estilo “joguinho em Flash 2D”.

The Binding of Isaac é um game criativo, que abusou de referências a clássicos (Zelda, Bomberman) para criar algo bem peculiar. Os mapas são aleatórios, criando uma nova experiência a cada nova partida.

A jogabilidade é muito simples com pouquíssimos comandos. O interessante é que Isaac não “atira” nas diagonais, o que é essencial para criar a dificuldade do jogo, muito difícil sem ser frustrante. Pelo contrário, cada morte dará mais vontade de jogar.

Os itens são um ponto fundamental. São dezenas de colecionáveis e power-ups, estes últimos essenciais para vencer os desafios. Faça a combinação certa de poderes para ter sucesso.

Importante dizer que o jogo foi criado por Edmund McMillen, um dos desenvolvedores do excelente Super Meat Boy (confiram Indie Game: The Movie para conhecer mais este talentoso rapaz). A trilha sonora é de Danny Baranowsky, que também compôs as músicas do Super Garoto de Carne. Aliás, ambas as trilhas sonoras são espetaculares.

The Binding of Isaac consegue ser um jogo casual e hardcore ao mesmo tempo, possibilitando muitas horas de diversão. Quem busca um alto nível de desafio no melhor espírito vintage vai se esbaldar nesta pérola dos jogos independentes.

The Binding of Isaac no Steam