[Review] To the Moon

To_the_Moon-launch-poster-lrg

Em meio aos inúmeros jogos indie, temos vários que se destacam pelas novas ideias de jogabilidade ou mesmo pela renovação de determinados gêneros. To the Moon foi um pouco na contramão dessas ideias e apostou na história. E que história!

Com um visual “RPG de Super Nintendo”, To the Moon não se destaca pela jogabilidade ou mecânica, que são extremamente simples. A história sustenta 90% do jogo, o que merece respeito. Para apoiar a grande história, há a belíssima trilha sonora original composta pelo criador do jogo, Kan Gao.

O jogo conta a história de um velhinho, Johnny, que está no leito de morte e contrata a empresa Sigmund Corp, que manipula memórias. Atendendo ao chamado, os Drs. Eva e Neil vão até a casa do velhinho para cumprirem seu pedido: enviá-lo à Lua. A missão dos cientistas é manipular as memórias do idoso para que seu desejo seja cumprido – pelo menos em sua mente. Porém, haverá alguns obstáculos que obrigarão os doutores a adentrar a mente de Johnny de uma forma inusitada e surpreendente.

No quesito “jogo propriamente dito”, To the Moon deixa muito a desejar. Os gráficos são simpáticos, a jogabilidade é simples e, no geral, não há muitas variações. Existem alguns puzzles um tanto bobos, e algumas partes de ação têm uma mecânica bem estranha.

Entretanto, To the Moon não é bem um jogo, mas sim uma excelente história que é contada mediante a linguagem dos games. Com pouco mais de 5 horas, a história chega ao fim e trará surpresas muito satisfatórias. É uma daquelas experiências únicas e inusitadas, que sem dúvidas ficará na memória por muito tempo. O contraste entre os gráficos “infantis” e os temas pesados ajuda a tornar as coisas ainda mais interessantes.

To the Moon exige muita leitura, o que pode incomodar algumas pessoas. Mas, se esse obstáculo for vencido e a simplicidade e estranheza da mecânica de jogo forem toleradas, o jogador terá uma experiência excepcional. Cada personagem é desenvolvido de forma complexa, dando a cada um deles uma personalidade única e definida.

Vale dizer que a equipe do Jogabilida.de, além de publicar um excelente podcast sobre o jogo, fez a tradução oficial para o português, que até o momento só está disponível de maneira informal.

Site Oficial | To the Moon no Steam | To the Moon no GOG