Quadrinhos

Resenha | Over-12

Compartilhar

Lourenço Mutarelli é um artista multifacetado. Roteirista de cinema, ator em inúmeras produções, com raízes nas historias em quadrinhos. Em 1988, lançou Over-12, uma manifestação em uma forma muito popular na sua época e bem menos em voga do que atualmente: os fanzines. A obra apresenta breves historias cheia de experimentalismos, antecipando narrativas como Diomedes, Mundo Pet e Capa Preta.

A obra há muito tempo estava perdida e graças a editora Comix Zone o quadrinho foi republicado em fac-símile na nova edição de Mundo Pet. O material gráfico reproduzindo o zine ajuda a maximizar as condições das esquetes em preto e branco, valorizam o lápis e nanquim do artista que, na época, assinava como Luiz Fernando Mutarelli.

As historias são curtas e em preto e branco, fato comum nas obras e publicações do autor. Aqui o quadrinista se coloca como personagem em primeira pessoa em algumas histórias e chega ao cúmulo de publicar o seu endereço da época, situação praticamente impossível de realizar nos dias atuais, mostrando o quanto os anos 80 eram loucos em essência e o quanto o autor não tinha receio de qualquer projeção.

Até por seu caráter episódico, focado em breves narrativas, Over-12 não possui um grande arco. São ideias chapadas e lisérgicas de um artista que experimentava sem receio de expor seus pensamentos, mesmo que fossem carregados de escatologias ou de sentimentos misantrópicos que, obviamente, não se encaixam em qualquer metodologia politicamente correta ou algo que o valha. Considerando que suas obras são bastante anárquicas, é natural que esse inicio seja tão violento e selvagem.

 

Filipe Pereira

Filipe Augusto Pereira é Jornalista, Escritor, quer salvar o mundo, desde que não demore muito e é apaixonado por Cinema, Literatura, Mulheres Rock and Roll e Psicanalise, não necessariamente nessa ordem.
Veja mais posts do Filipe
Compartilhar