Resenha | Savage Dragon Especial

Dez anos após a fundação da Image Comics, a editora decidiu celebrar em uma edição especial reunindo as equipes iniciais de seus títulos em um lançamento numerado com histórias inéditas. A princípio, somente nessa edição comemorativa tais histórias estariam disponíveis. O atraso da entrega do material, porém, atrasou em três anos a publicação. E posteriormente, as histórias foram lançadas em edição simples, para aqueles que não havia adquirido a versão comemorativa.

Lançado em fevereiro de 2007 pela HQM Editora, Savage Dragon Especial apresenta a origem do personagem, lançado originalmente na edição comemorativa da Image e posteriormente em edição solo em 2006 nos Estados Unidos. No posfácio da edição, há um texto do criador Erik Larsen explicando os motivos para uma trama de origem. Inicialmente, o autor nunca havia imaginado fundamentar o passado de Dragon. Porém, como a edição especial deveria trazer algo extra, diferente de uma história dos mensais, a escolha foi desenvolver quem era o personagem antes de se tornar um policial de Chicago sem nenhuma memória do próprio passado.

A origem de Dragon não apresenta nada em especial além da ideia de um homem sem memória que desconhece o seu passado, sendo assim, podendo ser diferente daquilo que foi. A trama revela que o policial era o tirano Korr que estava a procura de um novo planeta para sua população. Considerando que os terráqueos eram desnecessários, Korr decide destruir a Terra para colonizá-la. Porém, devido a uma resistência de dois cientistas de sua equipe, o tirano é abatido e jogado na Terra sem nenhuma memória.

A jornada da personagem parte, portanto, da modificação de um ser malévolo para um personagem bondoso. Pelos comentários do roteirista no referido prefácio, a trama foi feita mais como um agrado para o público, bem como para fornecer um extra para os leitores da edição mensal. Como o lançamento original do gibi no Brasil foi interrompido há mais de dez anos, é uma pena que novos leitores tenham conhecido Dragon por essa revista, quando sua mensal é muito mais divertida e bem composta.

Se a trama é uma narrativa comum, a edição da HQM se destaca com papel brilhante em uma época que nem mesmo a Panini Comics lançava as edições mensais em um bom papel. Pelo texto que acompanha a revista, a editora tinha planos em lançar Dragon novamente no país se a edição fosse bem recebida e pedida pelo público. Pelo visto, as vendas foram aquém do esperado, resultando em mais um breve lançamento de um bom personagem da Image Comics que atualmente parece esquecido em terras brasileiras.

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram, curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.