Quadrinhos

Review | Martin Mystère: O Exército de Terracota

Compartilhar

Confesso que não sou fã dos formatos das histórias de Martin Mystère. Os arcos que duram várias edições ainda vão lá, mas alguns que duram uma edição e meia como esse O Exército de Terracota não me são muito atraentes. De qualquer forma, o arco que se iniciou no primeiro volume, O Mistério em Pequim, encontra uma conclusão bastante divertida, já que abraça de vez o absurdo e a galhofa.

Com roteiro de Alfredo Castelli e ilustrações de Salvatore Deidda, Os Guerreiros de Terracota corresponde à edição 74 das aventuras do Detetive do Impossível lançada em 1988. A trama complicada e de certa forma clichê se iniciou na edição anterior onde Martin e sua trupe viajam até a China e se metem numa enrascada política e se vêem as voltas com mercenários, artefatos místicos, espionagem e eventos que podem ter conclusões catastróficas. Ao final dessa primeira edição, Martin se vê tendo que enfrentar um dragão e a grande vilã da história que foi rejuvenescida após uma baforada dele.

A conclusão da história é um tanto mais movimentada e divertida do que seu início e meio que pareciam um tanto arrastados. Aqui, Martin tem que usar de todo o seu repertório para escapar até mesmo dos Guerreiros de Terracota que em um determinado ponto ganham vida. É interessante observar como que o roteiro joga abusa dos predicados do Detetive do Impossível, visto que a todo momento um novo evento mágico ou absurdo surge para ele enfrentar. Enfim, a conclusão é por demais divertida e salva uma história que parecia fadada a ser apenas razoável.

Já a segunda história, que conclui na edição seguinte, coloca Mystère e sua equipe em uma trama onde eles vão investigar uma série de crimes violentos e inexplicáveis que aconteceram na fronteira da Califórnia com o México. Impossível não traçar um paralelo com Arquivo X e Supernatural, principalmente com a primeira, pois o clima de mistério que permeia a trama em muito lembra os episódios de "Monstro da Semana" do já clássico seriado. Porém, a interrupção da história me faz lamentar, pois a curiosidade pra saber o seu desfecho é muito grande.

Enfim, ainda que eu tenha uma certa preferência por seus companheiros de editora como Dylan Dog e Nathan Never, essa edição de Martin Mystère me fez olhar com mais carinho para as suas aventuras.

Compre: Martin Mystère – O Exército de Terracota.

Bernardo Mazzei

Advogado, mineiro, Flamengo até morrer, roqueiro doido, cinéfilo e recaído no vício em quadrinhos. Só chuta de trivela e sonha em trabalhar na polícia de Los Angeles pra poder gritar "LAPD! FREEZE, MUTHAFUCKA!".
Veja mais posts do Bernardo
Compartilhar