Review | Neo Yokio

Em tempos passados, houve uma invasão de demônios em Neo Yokio. Felizmente, existiam exorcistas capazes de enfrentar essas possessões. Após salvar Neo Yokio, a cidade abre suas portas para os exorcistas conviver ali e, de tabela, continuar aplicando seus poderes no combate às futuras ameaças. Os exorcistas criaram uma espécie de alta classe em Neo Yokio.

Kaz Kaan é um jovem exorcista e um dos solteirões mais cobiçados da cidade. Sim, existe essa lista em Neo Yokio, que é divulgada constantemente nos telões gigantescos dos prédios da cidade. Mas calma, não vá embora ainda, vou tentar mostrar algumas qualidades deste anime.

Houve uma tentativa de mesclar as tramas sobrenaturais com eventos típicos da high society, afinal, Kaz é abastado e vive nesse meio, acompanha influenciadoras digitais, esse tipo de coisa jovem moderna. Aí vem um problema da série: ela tentou ser tudo, e sabemos que isso não costuma dar certo. Nos minutos iniciais, ao mostrar a história de Neo Yokio, o anime parecia caminhar para um tom sobrenatural e combate de possessões demoníacas, ou mesmo situações políticas envolvendo o povo de Neo Yokio e os exorcistas. De repente, vemos um protagonista playboy que tem um certo carisma apesar das futilidades.

Daí aparecem elementos de sci-fi, como o robô mordomo Charles e a própria estrutura futurista da cidade. E então Kaz recebe a notícia que sua namorada terminou com ele. E que uma blogueira de moda foi possuída por um demônio. E essa mistureba toda, por algum motivo, é minimamente interessante.

É difícil avaliar este anime. Se por um lado havia um bom pano de fundo para desenvolver tramas interessantes, por outro lado a coisa ficou em abordagens mais superficiais, claramente porque o público-alvo é mais jovem. Então, a história é mais leves, tendo breves momentos de questões mais delicadas. Aparentemente, há uma certa crítica/sátira com as futilidades da alta sociedade e da necessidade de tentar se mostrar no topo (a lista de solteirões da cidade talvez seja o exemplo mais explícito). Vendo por esta ótica, a série fica um pouco mais interessante.

Vale destacar que Neo Yokio é uma espécie de New York alternativa, e o próprio comportamento dos personagens é ocidentalizado. Não por coincidência, afinal o criador do anime é o músico nova-iorquino Ezra Koenig, vocalista do Vampire Weekend, em parceria com Ben Jones. A trilha sonora é muito boa, recheada de músicas clássicas, ajudando na atmosfera aristocrática da série.

Alguns nomes famosos emprestaram suas vozes aos personagens, como por exemplo Jaden Smith (o protagonista Kaz Kaan), Jude Law (o robô mordomo Charles, talvez o personagem mais agradável da série), além de participações de Stephen Fry, Steve Buscemi, dentre outros. Sinceramente, a dublagem brasileira foi mais caprichosa e fez uma ótima versão com inúmeras vozes veteranas. Neo Yokio é aquele anime para se ver de forma bem casual, um simples passatempo de seis episódios mais um especial de Natal. Se houver uma nova temporada, que tenham mais foco ao invés de tentarem abraçar o mundo.