Ronja, a filha do Ladrão | Conheça a primeira série do Studio Ghibli/Amazon

0
250

Amazon realmente não está brincando em serviço. Anunciada hoje sua primeira série original dedicada ao público infantil Ronja, the Robber’s Daughter, que tem estréia marcada para dia 27 de janeiro nos EUA e Inglaterra. A série é narrada por Gillian Anderson e dirigida por Gorō Miyazaki (Da Colina Kokuriko, Contos de Terramar), e produzida pelo estúdio Ghibli ao lado da Saltkråkan (Astrid Lindgren Company). Ronja, foi bem recebido no Japão, tendo já até ganhado um Emmy por melhor animação infantil. A animação é baseada num livro popular de fantasia de mesmo nome criado pela escritora sueca Astrid Lindgren (Pippi Meialonga)vendendo já aproximadamente 10 milhões de cópias no mundo todo desde 1981, e foi traduzido em 41 línguas, adaptado tanto para TV quanto cinema internacionalmente.

Ronja narra a vida de uma garota de 10 anos de idade (Teresa Gallagher), nascida numa tempestade num forte numa montanha, cercada pelo seu pai e mãe. Ela cresceu para se tornar uma moça forte e descobre que a floresta tanto é bonita quanto assustadora, habitada por estranhas criaturas. Ela se torna amiga de Birk, o filho do rival de seu pai, e então começa um drama de amizade e lealdade a família. O espectador segue a exploração desses dois fatores predominantes em sua vida, descobrindo que através do amor e compreensão questões que pareciam impossíveis de resolver podem chegar a um consenso.

“Nós estamos encantados em colaborar com o estúdio Ghibli em sua primeira série de televisão assim como trabalhar com Gillian Anderson na narração” disse Tara Sorensen, Chefe da programação infantil na Amazon Studios. “Estão ansiosos em compartilhar essa estória de amor, família e amizade com nossos clientes”.

Ronja, The Robber’s Daughter é parte exclusiva dos assinantes do serviço da Amazon Prime, a série vai estar disponível para os assinantes no fim de janeiro no dia 27. O Serviço chegou recentemente ao Brasil e está com um preço exclusivo de $3,00 dólares para os assinantes até o sexto mês, mas o catalogo ainda permanece desatualizado em relação ao serviço americano, resta saber quando irão atualizar.

A parte que acaba sendo a mais curiosa de todas é ver que o mesmo estúdio que sempre prezou pelo trabalho tradicional em suas animações acabar optando pelo cell shading agora, que claramente é para agilizar a produção dos episódios provavelmente.