The Knick | Soderbergh comenta sobre a terceira temporada

Sem dúvida The Knick é uma das realizações mais impressionantes dentro dessa segunda era da televisão, e ainda assim é uma pena que não tenha alcançado o reconhecimento que deveria. O diretor Steven Soderbergh estabeleceu quase que todo o clima da série situada no inicio do século passado; dirigindo e fotografando todos os episódios, inclusive operando a câmera. O uso da luz natural limitado apenas a uma câmera em toda a série traz uma lembrança confusa e hipnótica para toda a experiência. É quase como se ele merecesse um prêmio de melhor coadjuvante, além de diretor.

No mais, a série foi cancelada após o fim da segunda temporada, mas Soderbergh tinha grandes planos para como a série iria se renovar e continuar seguindo em frente. Após o chocante clímax da segunda temporada, o diretor havia dito que a intenção era rebootar a trama a cada dois anos com um elenco diferente, e possivelmente um novo diretor para estampar sua assinatura e visão dentro da trama. Ele desenhou um esboço do que seriam a terceira e quarta temporada para o Cinemax, mas o canal não comprou a ideia a partir do momento que ele mudaria drasticamente o gênero e o clima geral para o público. Mas durante uma entrevista para sua nova comédia, Logan Lucky, Soderbergh acabou revelando uma informação que deixa qualquer fã da série mais irritado do que antes com o triste fim de The Knick:

A terceira temporada seria em 1947, e seria com toda a minha insistência filmada em preto e branco anamórfico. Provavelmente isso ajudou a nada ir pra frente…

Soa incrível, não!? Mas também não é impressionante que o Cinemax não tenha levado a ideia pra frente, a mera possibilidade dessa proposta visual teria sido talvez inimaginável pra uma série que em geral custou mais caro do que recebia de retorno. Soderbergh depois respondeu mais uma pergunta explanando mais sobre o seu tempo na direção da série e alguns problemas em seguir em frente:

Eu sinto falta de tudo em The Knick. Eu estava amedrontado antes de começarmos tudo pela agenda apertada, mas conseguimos encontrar ritmo e rapidamente filmamos as duas temporadas em 74 dias. A Segunda especialmente me deu a impressão que foi filmada realmente rápido. Eu acredito que não estava consciente do quanto é cansativo criar um espaço físico, um pequeno cenário em que se passa tudo aquilo, na primeira temporada em me concentrei em pequenos espaços mais do que na segunda…

É triste, quem sabe volte por algum outro canal, talvez…

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram, curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.