Literatura

Resenha | Jogos Macabros - R. L. Stine

Compartilhar

Em época anterior ao movimento editorial juvenil com autores explorando o gênero young adult, haviam autores dispersos que dialogavam com o público deixa faixa etária. No Brasil, autores como Pedro Bandeira e Stella Carr injetaram suspense e horror em suas narrativas, doses precisas para causar o medo pontual em um público ainda em desenvolvimento.

Configurado nesse estilo e dedicado ao mesmo público, R. L. Stine é um dos grandes autores do gênero, ainda que o seu nome não se destaque em nosso país. Talvez seu nome possa ser lembrado devido a série Goosebumps lançada em 1995, explorando narrativas de horror bem sucedidas tanto quanto livros como na adaptação seriada. Ao lado da série dedicada ao horror sobrenatural, há outra famosa série de livros intitulada Rua do Medo, totalizando mais de 100 publicações entre a série original, spinoffs e variações temáticas. Demonstrando tanto o quanto o autor é prolífico no gênero como justificando a afirmação de que Stine é o Stephen King juvenil.

Lançado pela Globo Alt, selo da Globo Livros, em 2016, Jogos Macabros é o primeiro livro que retorna a Rua Do Medo, depois de anos de hiato. Intitulada originalmente como Fear Street Relaunch, a nova série de livros continua em publicação no exterior, totalizando, atualmente, seis novas narrativas da famosa Rua do Medo.

Na trama, Rachel Martin é uma garota simples, colega de classe de Brandon Fear, da famosa, conhecida e rica família Fear e seu passado misterioso. Prestes a fazer aniversário, o garoto convida Rachel para sua festa em um local sombrio: a mansão da família. No local, Brendan dá início ao jogo que, como aponta o título, será mortal.

Stine tem consciência de seu público. Há trinta anos possui uma carreira voltada para o público juvenil. Dessa forma, sabe como criar a atmosfera necessária para desenvolver personagens juvenis com credibilidade e ainda trabalha o suspense com vigor. A narrativa tem enfoque em uma leitura de entretenimento com boas e carismáticas personagens, genuinamente adolescentes.

Composto por diversos capítulos curtos de títulos enigmáticos, o autor sabe como conduzir cenas de aparente suspense, desenvolver reviravoltas simples mas eficientes para manter o leitor atento. Presenteando-lhes com o estilo consagrado de suspense e horror envolvendo mortes, fantasmas e o medo como enfoque primordial. Sempre sem perder a tônica de dialogar diretamente com um público juvenil.

Anterior ao movimento contemporâneo dedicado ao jovem, Stine sempre se manteve ligado a esse público, apresentando-lhe doses bem executadas de diversão e horror, produzindo livro atrás de livro como o prolífico King também o faz, cada um em seu estilo. Jogos Macabros é uma leitura simples e divertida, e marca o retorno do autor a uma de suas franquias mais famosas. Um produto formatado para o jovem, sem dúvida. Mas um bom produto dentre as diversas opções sem qualidade atualmente.

Compre: Jogos Macabros - R. L. Stine.

-

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram, curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.

Thiago Augusto Corrêa

Apreciador de cinema, literatura, quadrinhos e música. Formado em Letras, escritor e metido a sabichão.
Veja mais posts do Thiago
Compartilhar