Crítica | David Lynch: A Vida de um Artista

Focado na faceta de artista plástico do prolífico diretor – aspecto esse que influenciou especialmente a parte inicial de sua filmografia, principalmente os curtas – David Lynch: A Vida de Um Artista é um documentário de Jon Nguyen e Olivia Neergaard-Holm, que busca mergulhar na intimidade do cineasta, através das palavras do próprio. É curioso assistir aos quase noventa minutos de fita, ao som da voz peculiar do artista, que está lá basicamente para filosofar a respeito de seus quadros e obras.

Lynch não costuma gostar de falar sobre suas obras cinematográfica, há poucos momentos onde ele parece realmente ter prazer de discutir os temas que propõe com a câmera na mão. Um dos poucos momentos onde se pode apreciar ele falando é quando faz as vezes de ator – especialmente em Twin Peaks, com o personagem Agente Gordon – e o compilado com seus vídeos curtos, The Short Films of David Lynch. De qualquer forma, mesmo nesses momentos não se percebe o mesmo prazer no tom de voz do sujeito como é visto nesse, nem mesmo em comparação a outro documentário, Meditation, Creativity, Peace, que é dirigido pelo próprio. Em A Vida de Um Artista ele é bastante prolixo, se sentindo completamente a vontade para discorrer sobre suas outras obras de arte que não a sétima.

As câmeras flagram o processo artístico do homem, que coloca a mão na massa, montando suas obras, quando não, resgatam imagens em vídeo e foto bastante antigos, que remetem ao passado dele, ainda infante, com seus familiares. Ali, mal parecia ser o sujeito anárquico que viria a se tornar. Vale muito apena ver isso até para se entender como o pensar lynchiano tem pés bem fincados na realidade comum a todos.

Seja por curiosidade ou por pura necessidade de estudar arte, o filme de Nguyen e Neergard-Holm serve bem ao propósito de mostrar outra faceta de Lynch, exibindo um sujeito sensível e desejoso por expressar mais de sua alma e criatividade, fato que deixa seus fãs otimistas, dado o hiato entre seu último filme e o retorno de Twin Peaks.

Acompanhe-nos pelo Twitter e Instagram, curta a fanpage Vortex Cultural no Facebook, e participe das discussões no nosso grupo no Facebook.