Reviews

Review | Copper - 1ª Temporada

Compartilhar

Primeira produção original da BBC America, Copper é um seriado policial ambientado na cidade de New York em 1864. A trama gira em torno do detetive de origem irlandesa Kevin “Corky” Corcoran (Tom Weston-Jones), ex-boxeador e ex-soldado, que luta para fazer cumprir a Lei no violento e miserável bairro Five Points. Paralelamente, ele busca de maneira incansável esclarecer o mistério do desaparecimento de sua esposa e do assassinato de sua filha.

Além desses dois plots centrais, outros temas foram explorados ao longo da recém-concluída primeira temporada. Em especial, o contexto da Guerra Civil Norte-Americana e seus desdobramentos políticos (com espiões sulistas e suas conspirações) e sócio-econômicos: milhares de negros libertados da escravidão chegando à cidade, se instalando nas áreas mais pobres, já ocupadas pelos imigrantes irlandeses, gerando uma tensão cada vez mais explosiva.

Ainda que pareça ambiciosa (e de fato é) ao abordar tantos assuntos, a série tem um resultado positivo nessa proposta. O roteiro peca em alguns momentos pela indecisão em escolher um foco, mas ao longo dos episódios conseguiu se equilibrar entre todos os assuntos, e contar uma boa história de época. Ironicamente, caracterização da metrópole do século XIX foi um dos aspectos mais complicados. Ainda que os figurinos estejam ok, os cenários são tão claramente digitais que chegam a incomodar, ao menos quando não há como apelar pra tradicional fotografia escura como “disfarce” para os poucos recursos. Como exemplo, se for comparada a Hell On Wheels (série exibida atualmente e que se passa na mesma época, mas no Oeste), Copper perde feio.

O diferencial acaba sendo mesmo a história e seus personagens bem trabalhados. Nesse cenário tão opressivo, ambiguidade moral acaba sendo a característica comum a todos. Nem o protagonista escapa de algumas ações questionáveis, como buscar “conforto” nos braços da cafetina Eva (interpretada por Franka Potente) enquanto procura sua amada esposa.

Outro exemplo é a menina Annie (Kiara Glasco), vítima de exploração sexual que é salva por Corky. Porém, a garotinha não é uma simples coitadinha, se revela uma viborazinha problemática. Outros personagens que se destacam são Robert Morehouse (Kyle Schmid), amigo de Kevin, filho de um poderoso magnata e que mescla uma enorme simpatia com interesses pouco nobres; Matthew Freeman (Ato Essandoh), um médico negro que conheceu Kevin e Robert na Guerra e hoje atua como quebra galho científico do detetive; Elizabeth Haverford (Anastasia Griffith), uma dama da alta sociedade que se encanta por Corky; e Francis Maguire (Kevin Ryan), o atormentado detetive que é parceiro e melhor amigo do herói.

Conseguindo aliar um argumento rico em conteúdo a um roteiro competente, além de boas atuações, Copper mostra que é possível para uma série policial não ficar apenas no engessado formato de “caso de semana” e se dedicar a construir uma história maior. Com a renovação já confirmada, surge mais uma opção para quem deseja fugir da mesmice televisiva.

-

Texto de autoria de Jackson Good.

Vortex Cultural

Um autômato a serviço do site... ou não.
Veja mais posts do Vortex
Compartilhar