Artigos

Top 10 - Melhores Filmes de 2012, segundo Flávio Vieira

Compartilhar

melhores-de-2012

Como de costume, eu tardo, mas não falho. Após um início de ano meio conturbado, minha lista de melhores filmes de 2012 esteve meio abandonada nas últimas semanas, mas decidi retomá-la e colocar aqueles longa-metragem que me impactaram em maior grau, com isso, já deixo claro que a lista abaixo se baseia exclusivamente na minha experiência pessoal com cada filme.

A Invenção de Hugo Cabret
Um dos primeiros filmes lançados do ano e o que melhor utilizou a técnica 3D em sua execução até o momento. A Invenção de Hugo Cabret tem como grande tema central o tempo. O tempo sempre será nosso maior amigo e inimigo, ele passará sobre nós sem piedade e logo estaremos velhos, mas também é ele o único capaz de nos fazer superar os nossos problemas e obstáculos. Scorsese faz uma declaração de amor ao cinema e ainda alerta a importância da preservação das obras originais. Tocante e delicado.


O Espião que Sabia Demais
Dirigido por Tomas Alfredson (Deixa Ela Entrar), O Espião que Sabia Demais traz uma abordagem contemplativa e melancólica do universo de espiões do MI6. O roteiro inspirado na obra homônima de John le Carré constrói uma história complexa e densa, mas que recompensa o espectador ao final do longa metragem. Repleto de grandes atuações, personagens bem construídos e um roteiro coeso e inteligente faz de  O Espião que Sabia Demais um dos melhores filmes de 2012.


Millenium: Os Homens que não Amavam as Mulheres
Lisbeth Salander já entrou no rol de personagens inesquecíveis do cinema. A adaptação de David Fincher dá vida a uma personagem ainda mais intimidadora na interpretação de Rooney Mara, por sua vez, Daniel Craig traz uma fragilidade a construção de seu personagem, algo muito diferente do que estamos acostumados a ver em seu trabalho como 007. Um thriller policial de primeira linha e que mostra como apenas suas ações demonstrarão quem você realmente é, não importando seu dinheiro ou escala social na qual você pertença.


O Homem da Máfia
O terceiro filme de Andrew Dominik traz o mundo da máfia para os dias atuais, fazendo um link interessante com a crise financeira ocorrida durante 2008 nos EUA. Brad Pitt traz uma interpretação repleta de frieza, indiferença e impessoalidade pelo mundo ao redor, e se antes tínhamos mafiosos como Don Corleone, em O Homem da Máfia eles são substituidos por engravatados do mundo corporativo, mostrando quem são os grandes vilões dos nossos dias.


Ruby Sparks
A comédia romântica Ruby Sparks me acertou em cheio. Longe de seguir fórmulas, apesar de brincar com vários clichês do gênero, o longa retrata justamente a dificuldade depois que a "empolgação" inicial de um relacionamento já se dissipou, e que o casal tem de aprender a conviver com as diferenças um do outro, suas manias e problemas. Calvin e Ruby mantém uma ótima química, e ambos parecem deixar a situação escapar do seu controle, algo que culmina numa cena violenta envolvendo o casal beirando o final do filme. Ruby Sparks traz personagens reais, em um filme divertido e inteligente.

Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge
O mundo aguardava o fechamento da trilogia do Homem Morcego idealizada por Christopher Nolan, e apesar de algumas críticas pífias ao longa, o filme superou as expectativas. Nolan mantém coerência no desfecho de sua saga, sempre imprimindo uma série de simbologias e referências, além de uma crítica voraz à nossa sociedade atual, tudo isso com um esmero por parte de elenco, direção e todo o resto.

As Aventuras de Pi
O novo filme de Ang Lee traz uma viagem transcedental, resgatando uma bagagem cultural, social e religiosa dentro de cada um de nós. Apesar de todo o contexto envolvendo espiritualidade, o filme não levanta bandeira de religião alguma, mas sim uma busca pelo autoconhecimento, crenças e filosofias se fundem em algo único. Além disso, o filme é visualmente impecável!


007 - Operação Skyfall
O mais recente filme de James Bond dividiu opiniões mundo à fora, contudo é inquestionável o sucesso alcançado em Skyfall, se tornando um dos filmes mais lucrativos da franquia. A direção de Sam Mendes trouxe uma assinatura ao longa, imprimindo uma série de simbolismos e um trabalho de fotografia muito competente. Um filme à altura dos 50 anos do personagem.

As Vantagens de ser Invisível
Fazia tempo que um filme não me impactava tanto quanto As Vantagens de Ser Invisível, talvez pelas experiências e personagens contidas nele serem tão fáceis de se identificar. O que tinha tudo para ser apenas mais um filme sobre o universo de adolescentes vai muito além, e apresenta uma história delicada sobre amizade, relacionamento, incertezas e descobertas. Daqueles filmes que serão lembrados pelo resto da vida.


Drive
Ryan Gosling traz uma de suas melhores atuações ao interpretar o aparentemente contido motorista de poucas palavras de Drive. No entanto, essa contenção é apenas um disfarce para uma faceta violenta daquele personagem. Gosling procura uma humanização na personagem de carrey Mulligan, o que acaba não acontecendo quando ela conhece sua verdadeira natureza. Impossível não se emocionar com a beleza contida na cena do elevador, onde o diretor contrói uma linda tomada de beijo entre os atores em slow motion, partindo logo após para uma cena seca de extrema violência, deixando claro que ambos vivem em mundos distintos. O melhor filme de 2012.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Decepção do ano: Na Estrada
Na Estrada está longe de entrar para uma lista de piores filmes, no entanto, peca em sua essência, deixando de lado o que a obra de Kerouac tinha de mais interessante, o aspecto "libertário" da geração beatnik. Uma pena, já que Walter Salles tinha um material e tanto nas mãos.

Flávio Vieira

Advogado. Fundador e editor-chefe do site. Divide seu tempo entre os principais trabalhos do blog e o que sobra pra sua vida pessoal. Pode ser visto facilmente nos principais bares da cidade.
Veja mais posts do Flávio
Compartilhar