Review | Dragon Ball Z – A Saga do Torneio do Outro Mundo

Segunda saga filler de Dragon Ball Z – a primeira foi Garlic Jr. –  que ocorre logo após os eventos da Saga dos Androides, com Goku já morto, treinando com o Senhor Kaioh, em cinco episódios, que seriam chamados de O Torneio do Outro Mundo. Obviamente que Goku precisava achar novos desafios.

Em alguns pontos, esses episódios desafiam e contradizem boa parte da cronologia oficial do anime, uma vez que mostra guerreiros que viveram há muito tempo, e que são bem mais poderosos que Goku, ou seja, mais poderosos que boa parte dos guerreiros Z. Mas apesar disso, também ajuda a explicar boa parte das novas técnicas que o herói traria na próxima saga, entre elas, uma aparição de um personagem secundário que tem uma jaqueta bem parecida com a utilizada nos lutadores que se utilizam da fusão metamoru – aquela da dancinha engraçada.

Aqui é reexplicado que o senhor Kaioh é responsável por lidar com o outro mundo do hemisfério Norte da Galáxia, enquanto o rival do Kaioh-sama que se conhece, tem rivalidade com o do Oeste, que por sua vez tem um lutador poderoso também a sua disposição, chamado de Paikuhan. Cell chega ao inferno, o que também contradiz o mangá, já que um androide supostamente não tem alma, e se junta a Freeza e seus capangas, para provocar uma revolta. A questão é que claramente Akira Toriyama deve pensar no outro mundo como um lugar cheio de regras, incluindo aí o inferno.

Quando o torneio enfim começa, fica muito divertido. O premio seria um treinamento exclusivo, com o Grande Senhor Kaioh, um personagem místico somente visto aqui nesses fillers. Na luta final, Goku é posto à prova, com Paikuhan lutando com muito afinco. Para vencer o adversário, o herói usa o super sayajin combinado com o kaioken, mistura essa que boa parte dos fãs acreditavam ser impossível. Mais tarde, isso seria também incorporado ao método de batalha de Dragon Ball Super, continuação canônica de DBZ.

Após a luta, o Grande Senhor Kaioh se demove de treinar o vencedor, por conta de preguiça, usando o argumento de que eles violaram as regras em meio a luta. A parte das lutas termina de maneira cômica, para então lembrar dos outros núcleos do anime, mostrando a Terra, onde já se passavam sete anos, com Gohan já adulto, indo para uma cidade grande, chamada Satan City para estudar em um curso pré-vestibular, abandonando as aulas particulares que sempre tinha, e estabelecer um grau a mais em nostalgia por meio de sua locomoção através da nuvem voadora que seu pai também usava quando criança na saga clássica. E de forma bem animada – muito superior aos instantes finais da saga dos androides, por exemplo – a microssaga é bobinha e infantil, mas divertida.

Facebook – Página e Grupo | Twitter Instagram.